segunda-feira, 7 de julho de 2008

O Manual da Boa Convivência

Conviver é uma arte que poucos dominam. Poucos sabem as regras do bem conviver, do bom relacionamento. A boa convivência não é somente a ausência de discussões, mas o respeito das diferenças.

Não somos todos iguais, temos idéias diferentes, gostos, pensamentos, e nem por isso não deixaremos de conviver com as outras pessoas. Todas essas diferenças não podem simplesmente ser ignoradas. Temos que compreender, respeitar. Erroneamente as diferenças são oprimidas, como se todos devessem ser iguais, como robôs uniformizados e sem vontade própria.

A família, na maioria das vezes oprime as diferenças. Pensam que educar é castrar, prender como se seus filhos fossem sua propriedade. Entendem mal a concepção de convivência, assim marginalizando as vontades, idéias e pensamentos dos seus filhos como se não interessasse. Não incentivam a originalidade.

A c0nvivência deve ser praticada com respeito, sobretudo em relação às variadas formas de pensamento, que forma o indivíduo. A família deve rever os seus conceitos em relação à educação, que geralmente confundem com "castração".

2 comentários:

Wagner disse...

muitos pais "obrigam" seus filhos a seguirem oq a familia segue, a pensa no q essa familia pensa, nao dando oportunidade pra q eles experimentem outro caminho ou modo de vida.

xD bjao Brennah

Saudades *.*

Camponês disse...

é fato, mas tente abrir a mente deles?! se conseguiu me passe a receita... eles são to focados em seus próprios conceitos de uniformidade que querem estar na sociedade, qndo eles na verdade eles são... e preferem deixar tudo como está, porque é assim que estava antes deles chegarem ...